Intuição Humana

Atitude, consciência e ação. Um ciclo que temos de abraçar.

Sempre que se fala em sustentabilidade é recorrente colocar-se as culpas na mão do ser humano. E se a mão que tira for também a mão que pode dar grande parte daquilo que é preciso?

Posted on / by Patricia Coelho / in Intuição Humana

Atitude, consciência e ação. Um ciclo que temos de abraçar.

Vivemos tão embrenhados no frenesim do dia dia, na imensidão de trabalho que todos os dias temos para fazer, que nem sempre nos apercebemos daquilo que está mesmo debaixo do nosso nariz. Todos os dias ouvimos falar em sustentabilidade, na necessidade urgente de mudança, mas será que sabemos realmente aquilo é preciso fazer?

Desenvolvimento sustentável já é uma expressão conhecida. Ouvimos a expressão na televisão, encontramo-la nos mais variados artigos e notícias. Mas e se agora descobríssemos que deste desenvolvimento sustentável também faz parte um desenvolvimento social e económico. Alguma vez pensou em associá-los?

Demorou demasiado tempo até que se percebesse que as más notícias sobre problemas ambientais têm exatamente o mesmo impacto no planeta que as notícias sobre as crises sociais. Porém, a verdade é que a pobreza e as desigualdades sociais, por exemplo, apresentam-se como uma das tantas faces do problema. Hoje, mais do que nunca, é necessário mudar de atitude, alterar panoramas. Mais do que informação sobre sustentabilidade e problemas ambientais é necessário agir. E a mudança pode começar onde menos se espera.

 

Hoje, mais do que nunca, é necessário mudar de atitude, alterar panoramas. Mais do que informação sobre sustentabilidade e problemas ambientais é necessário agir. E a mudança pode começar onde menos se espera.

Nos dias de hoje os recursos de conhecimento e as soluções na área da tecnologia já são mais do que suficientes para que um novo sistema económico seja possível – ambiental e socialmente sustentável. Mas como? As opções são mais do que muitas, mas podemos começar pelas mais simples: responsabilização social das empresas – através de formas de financiamento que tenham em conta critérios sociais e ambientais – e a capacitação das pessoas, por exemplo, são dois grandes passos no caminho da mudança. Promover o conhecimento é tão importante como trocar o saco de plástico pelo de pano. Dar informação e permitir que todos tenham acesso a essa informação é essencial para que um desenvolvimento sustentável seja possível.

Economia, sociedade e sustentabilidade são conceitos indissociáveis. Mais do que consciencializar é preciso educar, criar condições, incluir. O diálogo é essencial para que o tal desenvolvimento sustentável seja possível. Mas para que ele consiga ser sustentável também é preciso que seja social e economicamente viável.

 

Leave a Reply