Plástico

O problema ambiental que todos temos de conhecer

De uma tremenda atualidade, a questão dos microplásticos, tem sido o objeto de estudo de mais uma impulsionadora da mudança que Garrett McNamara nos apresenta.

Ainda muito pouco se ouvia sobre os efeitos terríveis do plástico nos oceanos e já Paula Sobral contava com mais de uma década de experiência nesta temática. Bióloga de formação, a professora universitária e investigadora do MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente explica, numa conversa com Garrett McNamara, a metodologia das suas investigações.
A bordo de um barco de pesca a baixa velocidade são lançadas redes de plâncton com o intuito de recolher amostras biológicas. Já no laboratório são identificados e categorizados os plásticos, para que em seguida se analise os efeitos que têm nas amostras biológicas recolhidas – em bivalves, por exemplo. Para além do trabalho de laboratório, Paula Sobral conta com vários estudos científicos publicados e ainda participa em conferências com o objetivo de promover atividades de divulgação da ciência à sociedade sobre o tópico do lixo marinho e dos microplásticos. A verdade é que, para ser feita alguma coisa útil no combate desta praga, é necessário que as indústrias, as empresas, os governos e as instituições convirjam em soluções comuns para solucionar este flagelo, alerta a professora universitária. Muito ainda há a fazer no que toca à eficácia da gestão dos resíduos de plástico, sendo que todos temos um papel decisivo na redução do impacto deste material poluente.

Professora Paula Sobral | Impulsionadora da mudança

A especialista que lançou o alerta (há uma década)

Fundadora e atual presidente da APLM – Associação Portuguesa do Lixo Marinho – e professora na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, Paula Sobral é especialista em microplásticos e uma voz de liderança no apelo à sensibilização da temática do lixo nos oceanos. É também investigadora do MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente. A professora universitária desenvolve atividades de divulgação, de modo a alertar para a mudança de comportamentos da sociedade na emergência dos problemas causados pelo lixo marinho e microplásticos.

Planeta de plástico?

Contagem decrescente para uma solução urgente

Cada vez são mais graves as consequências que o plástico tem no meio ambiente. É, portanto, fundamental ouvirmos o planeta.

É difícil imaginar um mundo sem plástico. Atualmente, são deitados ao mar mais de 8 milhões de toneladas de plástico, que pode levar até 500 anos a decompor-se. Devido à exposição solar e ao desgaste resultante da ação do mar, estes materiais originam fragmentos de pequenas dimensões, os chamados microplásticos.

Uma das consequências graves associadas a este tipo de poluição é o facto de estes microplásticos serem ingeridos por peixes – confundem-nos com alimento –, chegando assim à cadeia alimentar humana. Artigos de plástico descartáveis, tais como garrafas, sacos, cotonetes e outros resíduos, como as beatas de cigarros contribuem para os altos níveis de lixo marinho. Estes são o maior grupo de resíduos encontrados no mar e uma vez que não são biodegradáveis é difícil calcular o tempo que demoram a desaparecer. As estimativas que existem apontam para que um saco de plástico demore cerca de 450 anos a decompor-se, enquanto as beatas de cigarro levam entre 2 e 5 anos.

Deve ser um compromisso de todos avançar no sentido de atingir a redução do impacto dos resíduos de plástico no meio ambiente.

Provavelmente, não seremos capazes, de limpar os oceanos de todos os plásticos, pois muitos já se encontram no fundo. Não há uma só solução para este problema, há várias soluções. Para começar, teremos de contar com a atitude responsável e o compromisso de todos para avançar para uma transição, utilizando os melhores recursos e contabilizando todos os custos do plástico, para se atingir o objetivo de reduzir o impacto deste material nocivo para o meio ambiente.

Conversas EQ: Plástico

Numa conversa com uma das pioneiras no alerta e exposição das causas e consequências dos plásticos nos oceanos, Garrett McNamara descobre mais pormenores sobre este problema que é urgente atacar.