A transformação

do “lixo” do mar em arte

Ricardo Ramos, mais conhecido como Xico Gaivota, foi um dos pioneiros que deixou de ser capaz de ignorar o que estava diante dos seus olhos como marisqueiro e pescador que foi. A Praia das Maçãs despoletou em Xico Gaivota a vontade de terminar com o lixo que via na praia, que era também a sua segunda casa.
Depois de se deparar com um cenário em que a “sua” praia estava coberta de lixo, pegou nos filhos e partiram para a aventura em busca de materiais que servissem para fazer presentes para a família. Mais do que transformar os plásticos em arte, Xico Gaivota também quer fazer com que o lixo nunca mais volte ao mar.
Viciado nos fragmentos que encontrava sempre que passeava junto ao mar, o objetivo era simples: trabalhar os materiais que encontrava nas praias sem aumentar a sua pegada ecológica.

Xico Gaivota | Artista plástico português

O Mar que une e interliga todos

Pescador e marisqueiro profissional, Ricardo Ramos nasceu em 1978 e é conhecido como Xico Gaivota. Filho de artistas, fez o curso de marcenaria da Fundação Ricardo Espírito Santo. Conhece o mar como a palma da sua mão e há dois anos que se dedica a criar esculturas com a temática marítima. Para Xico Gaivota, tudo o que vem à rede é peixe e o plástico que encontra nas praias é a sua matéria-prima.
Tudo começou como uma forma de oferecer presentes à família que rapidamente passou para a sua imagem de marca. Para Ricardo Ramos o que encontra na praia não é lixo, mas sim a matéria-prima das suas obras que têm a menor pegada ecológica possível, sem recurso a outros materiais, como colas.

Sustentabilidade

Transformar lixo em arte

Para Xico Gaivota, todos os materiais que encontrava nos seus passeios pela praia tinham um propósito e eram a sua matéria-prima, sendo a sua principal preocupação utilizar esses materiais para criar arte sem aumentar a pegada ecológica que os mesmos já tinham, que era muita.

“A minha preocupação foi como ia manipular estes materiais sem aumentar a pegada ecológica que eles já têm”

Escovas de dentes, brinquedos, redes, baldes, chinelos, boias e todo o tipo de plástico são a matéria-prima que inspira Xico Gaivota. Se, por um lado, outras pessoas deixariam ficar esse “lixo”, Xico Gaivota converteu-o em arte e de apanhar peixes verdadeiros, passou a fazer peixes de plástico.
É através da sua arte que Xico Gaivota pretende alertar para a necessidade de terem consciência ambiental, principalmente no que diz respeito aos plásticos e à necessidade de contribuir para um estilo de vida mais sustentável, retirando da natureza o que não lhe pertence.

Conheça os impulsionadores da mudança

O nosso mundo está repleto de desafios, mas nenhum tão importante como a construção de um mundo melhor. Fique a conhecer os projetos projetos que estão a alterar o paradigma da sustentabilidade, e as pessoas que desbravam os novos caminhos do futuro.